domingo, 25 de novembro de 2012

video
 
   VIOLENTAMENTE PACÍFICO: VÍDEO PARA PENSAR

quinta-feira, 25 de outubro de 2012


        A exibição do filme  JARDIM DAS FOLHAS SAGRADAS é uma ação desenvolvida no projeto AFRICA: DA RODA DO TAMBOR PARA A RODA DO MUNDO, elaborado pelos professores da área  de Ciências Humanas, da Escola Profª  Altair da Costa Lima.  Viabilizada pela direção e  coordenação com o objetivo de estimular a participação dos alunos do Ensino Fundamental II desta Unidade de Ensino, em atividades culturais em que a organização, a habilidade, a competência e inteligência se integrem ao espírito estudantil; congregando a todos independentes de ideologias políticas, religiosas, raciais ou sociais o cumprimento do evento   desenvolvendo atividades variadas.
Visa também instrumentalizar educadores para uma real implementação da lei 11.645/08,  importante conquista dos movimentos étnicos afro-indígenas a contemplar a pluralidade cultural brasileira.
DIA: 25/10/2012LOCAL: ESCOLA PROFª ALTAIR DA COSTA LIMA
Horário: 13h30
Duração: 90 minutos (1 hora e 30 minutos)
Gênero:  Drama
Direção:  Pola Ribeiro
Palestra com Antonio Godi
(Ator e antropólogo - Prof.UEFS-DCHF-NUC)

domingo, 6 de maio de 2012

MOÇÃO DE APOIO


MOÇÃO DE APOIO
OS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE DIAS D’ÁVILA MANIFESTAM APOIO AO COLEGA GEORGE OLIVEIRA, PROFESSOR LOTADO NA ESCOLA ALTAIR DA COSTA LIMA. DECLARAM-SE SOLIDÁRIOS AO REFERIDO PROFISSIONAL, QUE NO ATO DE SUAS FUNÇÕES FOI PROVOCADO A AGIR DISCIPLINARMENTE, REAGINDO A ALGUMA AÇÃO ANTERIOR DE UM ESTUDANTE EM SALA DE AULA; FATO PARCIALMENTE REGISTRADO PELA CÂMERA DE CELULAR DE OUTRO ESTUDANTE DA MESMA TURMA. VALE RESSALTAR QUE O REGISTRO FOI FRAGMENTADO, NÃO REVELANDO IMAGENS OU FALAS ANTERIORES, OU MESMO POSTERIOR, AO MOMENTO TIDO COMO “SUPOSTA AGRESSÃO”. TODO REGISTRO (GRAVAÇÃO) DESSE INSTANTE APENAS REVELA UMA REAÇÃO EMOCIONAL, SEM INTENÇÃO DE AGRESSIVIDADE. É BOM LEMBRAR A PROIBIÇÃO DO USO DO CELULAR EM SALA DE AULA; DESSA FORMA, QUALQUER UTILIZAÇÃO DESSE EQUIPAMENTO PODE SER CONSIDERADA UM DESRESPEITO AS NORMAS DA ESCOLA. ASSIM, A EXPOSIÇÃO RECORTADA DO FATO OCORRIDO DEIXA CLARA A CONDIÇÃO VIVENCIADA PELO COLEGA GEORGE: REFÉM, VÍTIMA DAS AÇÕES DE “ESTUDANTES IMATUROS”, QUE AGEM DESCUMPRINDO REGRAS E NORMAS PREESTABELECIDAS.
NUM TEXTO INTITULADO “PROFISSÃO REFÉM”, ESCRITO PELO PROFESSOR LIONARDO BISPO NO AFÃ DOS ACONTECIMENTOS, LÊ-SE: “PROFESSORES E PROFESSORAS ESTÃO REFÉNS, ACUADOS, QUASE IMOBILIZADOS DIANTE DOS COMPORTAMENTOS INDESEJADOS DE ESTUDANTES, CUJAS CONDUTAS TRAZEM TRANSTORNOS AO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM. ALGUNS DESSES ESTUDANTES QUE, INFELIZMENTE, INSISTEM EM UTILIZAR CELULARES E SIMILARES EM SALA DE AULA, GRAVANDO CONVERSAS OU IMAGENS QUE LHES INTERESSAM, CONSEGUEM DESESTRUTURAR A CONCENTRAÇÃO NECESSÁRIA DOS OUTROS COLEGAS E DESESTABILIZAR A PLANEJADA ATENÇÃO DOS DOCENTES PARA O ESPECÍFICO FAZER E ACONTECER DA AULA; ALÉM DE GRAVAÇÕES, ESSES ESTUDANTES USAM SEUS EQUIPAMENTOS PARA OUVIR MÚSICA, ÀS VEZES, SEM OS FONES DE OUVIDO, E, AINDA, PARA MANDAR MENSAGENS OU MESMO BRINCAR COM JOGOS E FAZER LIGAÇÕES, DESRESPEITANDO TOTALMENTE OS PROFISSIONAIS E AS NORMAS INTERNAS DA ESCOLA. TAMBÉM SÃO EVIDENTES AS BRINCADEIRAS PROVOCATIVAS E DESRESPEITOSAS DE ALGUNS ESTUDANTES, OCASIONANDO POSSÍVEIS CONFLITOS ENTRE ELES PRÓPRIOS E, CONSEQUENTEMENTE, COM AQUELE OU AQUELA PROFISSIONAL QUE ESTEJA NA SALA DE AULA. ISSO TUDO ACONTECE NUM LUGAR ONDE SE ESPERA A ACOMODAÇÃO DE PESSOAS PARA UM BEM MAIOR: A EDUCAÇÃO.”
POR TUDO ISSO, OS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO DE DIAS D’ÁVILA REFORÇAM TOTAL APOIO E INTEGRAL SOLIDARIEDADE AO COLEGA GEORGE OLIVEIRA, PAI DE FAMÍLIA HONESTO, ÉTICO E HONRADO. ASSIM SENDO, TODO PROFESSOR E PROFESSORA ACREDITAM NUMA SOLUÇÃO JUSTA E IMEDIATA, QUE SEJA DIGNA AO PROFISSIONAL EDUCADOR, PRESERVANDO SUA IMAGEM MORAL E PESSOAL.

quinta-feira, 12 de abril de 2012

PROFISSÃO REFÉM

PROFESSORES E PROFESSORAS ESTÃO REFÉNS, ACUADOS, QUASE IMOBILIZADOS DIANTE DOS COMPORTAMENTOS INDESEJADOS DE ESTUDANTES, CUJAS CONDUTAS TRAZEM TRANSTORNOS AO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM. ALGUNS DESSES ESTUDANTES QUE, INFELIZMENTE, INSISTEM EM UTILIZAR CELULARES E SIMILARES EM SALA DE AULA, GRAVANDO CONVERSAS OU IMAGENS QUE LHES INTERESSAM, CONSEGUEM DESESTRUTURAR A CONCENTRAÇÃO NECESSÁRIA DOS OUTROS COLEGAS E DESESTABILIZAR A PLANEJADA ATENÇÃO DOS DOCENTES PARA O ESPECÍFICO FAZER E ACONTECER DA AULA; ALÉM DE GRAVAÇÕES, ESSES ESTUDANTES USAM SEUS EQUIPAMENTOS PARA OUVIR MÚSICA, ÀS VEZES, SEM OS FONES DE OUVIDO, E, AINDA, PARA MANDAR MENSAGENS OU MESMO BRINCAR COM JOGOS E FAZER LIGAÇÕES, DESRESPEITANDO TOTALMENTE OS PROFISSIONAIS E AS NORMAS INTERNAS DA ESCOLA. TAMBÉM SÃO EVIDENTES AS BRINCADEIRAS PROVOCATIVAS E DESRESPEITOSAS DE ALGUNS ESTUDANTES, OCASIONANDO POSSÍVEIS CONFLITOS ENTRE ELES PRÓPRIOS E, CONSEQUENTEMENTE, COM AQUELE OU AQUELA PROFISSIONAL QUE ESTEJA NA SALA DE AULA. ISSO TUDO ACONTECE NUM LUGAR ONDE SE ESPERA A ACOMODAÇÃO DE PESSOAS PARA UM BEM MAIOR: A EDUCAÇÃO.
ALGUMAS INDAGAÇÕES AINDA SÃO VÁLIDAS, APESAR DA OBVIEDADE QUE TRAZEM EM SI. POR EXEMPLO: SERÁ QUE MENINOS E MENINAS NÃO PRECISAM DE LIMITES, REGRAS DISCIPLINARES PARA SEUS COMPORTAMENTOS ADVERSOS NA ESCOLA? NORMAS E REGRAS JÁ ESTÃO CADUCAS DEMAIS, POR ISSO NÃO SÃO MAIS NECESSÁRIAS PARA O BEM ESTAR SOCIAL? AS FAMÍLIAS ATUAM EM CONJUNTO COM A ESCOLA NA PREPARAÇÃO EDUCACIONAL DOS SEUS FILHOS E FILHAS? AINDA É PRECISO O RESPEITO AOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO? A EDUCAÇÃO ESCOLAR PERDEU SUA ABRANGÊNCIA E IMPORTÂNCIA NA FORMAÇÃO DO INDIVÍDUO? AS PESSOAS QUE TRABALHAM COM A EDUCAÇÃO NÃO SÃO VISTAS COMO SERES HUMANOS? PROFESSORES E PROFESSORAS DEVEM SE CALAR AO OUVIREM PALAVRÕES OU QUALQUER OUTRA PALAVRA INDESEJÁVEL EM SALA DE AULA? AS AÇÕES DESSES PROFISSIONAIS ESTÃO LIMITADAS ÀS SUAS METODOLOGIAS ESPECÍFICAS DE CONTEÚDO? OS ESTUDANTES DESEJAM APRENDER OS CONHECIMENTOS MAIS TOTAIS OU SOMENTE RESOLVER PEQUENAS CONTAS E LER E ESCREVER MÍNIMOS TEXTOS? ENFIM, PERGUNTAS QUE PRECISAM DE EFETIVAS RESPOSTAS, QUE IMPLORAM REFLEXÕES E AÇÕES CONSTANTES SOBRE AS FUNÇÕES SOCIAIS, POLÍTICAS E CULTURAIS DESSE PROCESSO INSTITUÍDO DE ENSINO E APRENDIZAGEM.
AS LEIS PROTEGEM OS ESTUDANTES MENORES DE IDADE, CONDIZEM COM SEUS STATUS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES QUE SÃO, MAS CONDUZEM SUAS AÇÕES, CONSIDERADAS IMATURAS, AOS DESREGRAMENTOS GERAIS E IMPULSIONAM-NOS ÀS ILIMITADAS CIRCUNSTÂNCIAS DE DESEQUILÍBRIOS E DESRESPEITOS; NÃO SÓ PORQUE OS EXIMEM DE RESPONSABILIDADES MAIS PESADAS PELOS SEUS ATOS, QUE, EM SUA MAIORIA, SOFREM PENAS BRANDÍSSIMAS, MAS PORQUE OS LEVAM A TOMAREM CONSCIÊNCIA PRÉVIA, POR ASSIM DIZER, DE QUE SUAS ATITUDES ESTARÃO “NAS MÃOS DOS MAIS VELHOS”, CONDICIONADAS AO QUE ESTES DISSEREM E FIZEREM SOBRE ELES (JOVENS), E SOB A BATUTA DE OUTROS (AUTORIDADES), QUE AGEM DE ACORDO A ESSAS LEIS PRECISAS OU, NA MENOR DAS HIPÓTESES, RECHEADAS DE BRECHAS A FAVOR DOS MENORES QUE INFRIJAM ALGUMA NORMA NO INTERIOR DA SALA DE AULA OU DENTRO DA ESCOLA. AO MESMO TEMPO, OS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO SENTEM-SE LIMITADOS E, DE CERTA FORMA, DESPROTEGIDOS EM TAIS CONDIÇÕES DE TRABALHO, POIS ESSE CONTEXTO ATUAL MAIS DESCONSTRÓI ÀQUELA MARGEM DE SEGURANÇA E DE VALOR QUE TINHAM AS FIGURAS DOS PROFESSORES E PROFESSORAS. AGORA, RESTA ESPERAR POR ALGUMA MUDANÇA SOCIAL E POLÍTICA, TAMBÉM CULTURAL, QUE PRESERVE ALGUM POSSÍVEL ENCANTO CONTIDO NAS TRAMAS E RELAÇÕES EDUCACIONAIS PRESENTES NA ESCOLA; PORQUE EDUCADORES E EDUCADORAS CONTINUAM CADA VEZ MAIS REPRIMIDOS PELOS PÉSSIMOS COMPORTAMENTOS DE MENORES QUE ATUAM AGRESSIVAMENTE, DESMORALIZADOS PELAS CONJUNTURAS QUE PARECEM APENAS PROIBIR QUALQUER ATUAÇÃO QUE RESTRINJA, CONTRADITORIAMENTE, AS DESENFREADAS AÇÕES DE ESTUDANTES
.
(Lionardo Bispo)